"Viver o momento é espiritualidade, viver em movimento é Divindade" (B.K.S. Iyengar)

Navegante do planeta Terra, realizo que eu sou a Terra e a Terra sou eu. Bem vind@ a este divino encontro, essa é a hora! Estamos Aqui e agora, simplesmente para EVOLUIR. Aqui ao meditar, sem mover ou sair do lugar, é possível viajar por todo o universo interior. Agora ao movimentar-se, a magia do viajar por qualquer lugar para tornar-se um ser em expansão pelo universo. A vida é uma viagem, uma longa jornada ao encontro da essência, o Si Mesmo, a fim de receber o presente da Divindade em cada Ser e, consciente, ascensionar. Na doce ternura todas as portas se abrem, o AMOR é a chave mestra!

Te convido a penetrar nesta experiência do recordar e DESPERTAR. Cada mensagem é como entrar no trem da vida! Desfrute destes momentos compartilhados.

OM Tat Sat OM ... Tat Twan Asi.
Assim é! Muito simples, apenas, é Isto!

terça-feira, 23 de outubro de 2007

O papel da Mulher

"A vida de quem cultiva

a própria pessoa será verdadeira. "
Lao-Tsé





Sabe que quando a mulher casa, vai para a casa da familia do marido? Nas familias menos ortodoxas, a mulher eh mais livre quanto ao vestir, mas na maioria dos casos eh a propria sogra que obriga a mulher casada a usar somente sari?

E mais: em virtude do desrespeito dos homens quanto a mulher, que nao deixa em paz nem as casadas. Foi instituido certas marcas para que elas pudessem ficar mais livres do assedio masculino e assim eh comum se ver, o bindu (circulo) vermelho (na maioria dos casos) na testa, aneis nos dedos dos pes, uma outra marca vermelha vertical bem na divisa da cabeca com a testa.

As roupas que se usam aqui tambem foi um meio de deixar as mulheres com o corpo menos a mostra para que transitasse livremente pelas ruas, acredita? Tudo forma do controle, pois que muitas vezes os homens nao controlam seus instintos e eh o que acontece no caso dos estupros.


Eh sempre a mulher que tem que se reprimir porque o homem nao da conta de si, em todo o nosso planeta os mesmos problemas socias somente mudam os costumes!



Ah!... e tambem nos trens tem vagoes separados para as mulheres que viajam sozinhas, as vezes eu ando nele, mas a mulherada fala tanto que nao eh possivel dormir de noite. Como a luz fica acesa eh uma tagarelice e tanto. Incrivel que este vagao tem 2 guardas para protege-las, acredita?


Bem, entao quando eh para passar a noite, prefiro pegar o vagao "unissex". Nao tive nenhum problema, mas algumas mulheres me falaram que as vezes chega um homem e passa a mao nelas... ai,ai...

Enfim... muita historia minha gente!


E no mais a submissao das mulheres, no aspecto positivo, me ensina muito sobre a humildade e a apenas irradiar esse poder terno entre tantas outras qualidades que o somente ser feminino ter por natureza nata. Vejo nessa submissao algo muito paciente e pacifico, aceitar a dor e nao lutar, direcionar as energias para a nutricao da familia. Porem, tudo seu ponto limite e o equilibrio em difrentes situacoes... Eh fato que as mulheres estao reinvindicando direitos de igual para igual.. mas ainda ha muito chao para trilhar quanto aos preconceitos...


Eh nao eh facil ser mulher!



Originalmente, o papel da mulher era diferente do que hoje se percebe. Atualmente existe um grande culto as Deusas atraves de deidades nos templos, mas antes tambem a mulher era divinamente cultuada. O exemplo do que eh divino na mulher se reflete nas deidades. Essa era a tradicao da cultura do povo nativo indiano, os dravidas.


Em virtude das invasoes o poderio dos homens guerreiros e conquistadores espalharam por todo o mundo o conceito da sociedade patriarcal, nos separando da vivencia mas proxima de conexao com a Divina Deusa, a Mae Divina que se manifesta quer seja na natureza, quer seja no que irradia desde dentro na expressao livre e espontanea do singelo, sincero e puro amor.


Segundo os estudos de uma devota Hare Krishna, Radhikakrpa devi dasi: "Os Vedas designam a mulher ideal como: Aditi – sendo não-dependente; Brhati – tendo um grande coração; Chandra - sendo feliz; Devakama – sendo devotada; Kshama – sendo tolerante; Saraswati – sendo estudiosa; Sumangali – sendo auspiciosa; Vishruta – sendo gloriosa; Yogha – sendo sempre unida ao homem, não separada, sendo o “ardha-angini” (cara-metade).


Existem ainda muitas outras qualidades mencionadas nas escrituras védicas que adornam a mulher. Ela é o coração da sociedade; o pivô ao redor do qual toda a família orbita. As famílias unidas formam a sociedade que por sua vez formam a nação, e as nações se unem para formar o mundo. A mulher é a bem-querente das novas gerações. O sucesso das gerações futuras, dependentes de sua guia e instruções, está em sua mão. Ela é o primeiro guru, o guia espiritual da criança."

Essa eh a India, toda a familia gira em torno da mae-mulher, ha toda uma preocupacao em dar um lar para que ela esteja segura e acolhida, porem ao mesmo tempo por outros costumes que se relacionam ao dote das mulheres, gera uma mortandade infantil feminina. Da para sacar como os polos andam lado a lado?


E ainda, eh o que se espalhou por todo o mundo, uma sociedade patriarcal e extremamente machista que comeca atraves da propria mulher em alguns casos. Afinal eh a mae que esta em casa e educa, eh ela mesma que pode mudar e eh ela que da continuidade a tradicao ja existente.


A intencao das feministas espalhadas por todo o mundo eh justamente recordar o papel da mulher em todas as esferas. Na real acredito que as feministas estao indo por um caminho contrario, guerreando e batendo de frente, em vez de justamente ir pelo sutil ou pelas qualidades do ser feminino. Enfim, tambem tudo tem o seu importante empenho nesse despertar do poder da mulher.


E foi bem bacana os dias que passei com a Sunita, la perto de Dharamsala, a vista da sua casa era esplendida. Uau! Incrivel... e fizemos maravilhosas meditacoes juntas, algumas experiencias mais. Foi muito legal! Ela eh super versatil, uma inspiracao de mulher guerreira e suave, fez danca indiana por 5 anos. Eh um exemplo daquela mulher moderna, hoje com 54 anos... Porem, entre os 35 - 40, sendo um desses exemplos de mulher que foi aquem da sociedade e batalhou por sua propria independencia financeira e conseguiu a liberdade de um casamento infeliz.


Nao eh facil conseguir o divorcio aqui, pois que nao eh comum a mulher ter coragem para isso.


Bem, foi uma experiencia e tanto estar junto com ela. E acredita que aquela brincadeira de crianca da "vaca amarela cagou na panela quem falar primeiro como todo a bosta dela" tambem tem em hindi. Alias, descobri que muitos dos nossos ditados populares tem muito a ver com aqui, creio que ate vieram daqui...hehehe



Ah, o ultimo trabalho de Sunita foi justamente numa instituicao feminista que da apoio as mulheres simples que vivem nas vilas. Conheci as outras pessoas que la trabalhavam com ela e visitei e jantei com elas. Aprendi tambem que dentro das castas, ha tambem diferenca de classes. Tipo, ha o shudra pobre e o shudra rico... Porem, mesmo assim eles gostam de manter certos habitos como o cozinhar no fogo a lenha ou mesmo na brasa ;)


Assisti alguns documentarios que ela fez, onde vi mais coisas inacreditaveis, dessa vez sobre tudo o que a mulher passa, a duras penas sendo tratada de formas taos crueis e desrespeitosas. E por outro lado esse movimento que traz novos ares para a reestruturacao da sociedade com o retorno a essa visao do passado como a mulher sendo cultuada atraves das virtudes de ternura, respeito e merecido amor.


Ha muitos trabalhos sociais sendo sustentados por Ong's internacionais. Em todas a areas os europeus sendo compadecidos e porque tambem tem muita grana, dao sua contribuicao. Auxiliam a mostrar um outro lado perdido pelas tantas invasoes e sofrimentos que a India, assim como o Brasil e qualquer outro pais em desenvolvimento passa.


Tambem assisti videos dos rituais e festivais em sua extensa variedade. Ela me explicando tudinho... De familia brahmane, as classe que tem mais estudo e oportunidade. Estive em sua companhia como se estivesse com uma enciclopedia ao vivo... hehehe


E o mais bacana, foi me sentir tao a vontade com ela. Paises e culturas diferentes, idades diferentes e muito em comum e muito a trocar.


Especial demais!!!


Eh isso...


De pouquinho em pouquinho, um tiquinho mais de India!!! ;)




Ainda estou devendo as fotos... dentro em breve atualizo de novo!!!




Beijos e amor


ka deki

6 comentários:

Anônimo disse...

Eu odiei a reportagem pois eu não encontrei oque eu queria sabe !
Pois meu trabalho está pedindo uma reportagem sobre o papel da mulher na índia e tipo a reportagem não me ajudou hem nada !
Beijos e ve se melhora algumas coisas !

Anônimo disse...

Pois é amigo anonimo, tem informações reais aqui e se não foi do seu agrado, só lamento! Muita paz e bem... mas o que especificamente tu quer pro seu trabalho?
OM

Anônimo disse...

A reportagem não está ruin, o que eu queria saber é porque as mulheres como "objetos" o que ocorreu para que acontecesse isso?

juliana disse...

gostei da reportagem...mas estou ainda com muitas duvidas...me relaciono pela internet com um rapaz indiano de Dharwad...e estamos muito envolvidos...mas eu estou com muitas duvidas e medos pois somos completamente diferentes...se pudesse me dar umas dicas de o que fazer....estou muito perdida...obrigado...ah adorei as fotos da india...

ÁTMA - Sou alma, existência no arco-íris de um violeta-multicolorido disse...

oi anonimo... podem ter tantas explicaçoes pra isso, na Índia mulheres nao sao objetos mas ha uma mistura de submissao e culto ao poder feminimo porem maculado por todo o poder de uma sociedade cheia de regulamentos que devem ser seguidos por virem das escrituras sagradas... nao dá pra entender com uma visao ocidental, tem que apenas estar lá e seguir o que é e ACEITAR!

ÁTMA - Sou alma, existência no arco-íris de um violeta-multicolorido disse...

oi juliana... situaçao que nao posso te dizer sabe? sente e ouça o que diz teu coraçao, é claro que nossa cultura é muito diferente da Índia? Mas ainda, lá as pessoas, em geral, são muito verdadeiras, reais e sinceras, são de uma pureza incrível, porém tambem tem de tudo né?

Por nossos habitos, eu sempre pensei o quanto seria estranho pra mim casar com um indiano e olha que tive diversas propostas, mas nao sei se daria conta... agora se trouxer o indiano pra cá, é o contrario, ele que teria de fazer o esforço de se adaptar certo?

beijjinho e boa sorte!!!