"Viver o momento é espiritualidade, viver em movimento é Divindade" (B.K.S. Iyengar)

Navegante do planeta Terra, realizo que eu sou a Terra e a Terra sou eu. Bem vind@ a este divino encontro, essa é a hora! Estamos Aqui e agora, simplesmente para EVOLUIR. Aqui ao meditar, sem mover ou sair do lugar, é possível viajar por todo o universo interior. Agora ao movimentar-se, a magia do viajar por qualquer lugar para tornar-se um ser em expansão pelo universo. A vida é uma viagem, uma longa jornada ao encontro da essência, o Si Mesmo, a fim de receber o presente da Divindade em cada Ser e, consciente, ascensionar. Na doce ternura todas as portas se abrem, o AMOR é a chave mestra!

Te convido a penetrar nesta experiência do recordar e DESPERTAR. Cada mensagem é como entrar no trem da vida! Desfrute destes momentos compartilhados.

OM Tat Sat OM ... Tat Twan Asi.
Assim é! Muito simples, apenas, é Isto!

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Ladakh, Terra do Descobrimento Sem Fim...

“A forma nao difere do vazio e o vazio nao difere da forma.
Forma eh o vazio e o vazio eh a forma.
O mesmo eh verdade para sentimentos,
percepcoes, vontades e consciencia”
Buddha - Sutra do Coracao


Ate Kargil ainda vi mais influencia muculmana misturada aos olhinhos puxados. Sinais que o povo do Ladakh tem sua origem com uma pe na descendencia do Tibet.


Na estrada vi muitas ruinas de mosteiros budistas e stupas (sinal da energia cosmica e da iluminacao). Em Mulbekh parei e me deparo com uma enorme estatua de Maitreya que representa o Buddha da amizade, bondade e amabilidade.


Cai aos pes dessa estatua esculpida direto na rocha com mais de 2000 anos e novamente me rendo ao Supremo, bem como ao Buddha que somos. Eh para isso que as divindades tambem existem, nao so para relebrar os aspectos divinos e adora-los numa forma de trazer para dentro do individuo, mas tambem para relembrar de que essas mesmas qualidades existem em todas as formas e repousa no vazio do simplesmente ser.


Nesse caminhar torno a me lembrar das 4 nobres verdades:


  1. A vida eh insatisfacao e sofrimento gerado pelo nascimento e pelo crescer (viver), pela doenca e pela morte ou pela separacao de entes queridos;

  2. O que gera o sofrimento eh a ignorancia provocada pelos desejos e apegos;

  3. Ha uma solucao para se livrar da ignorancia e cessar o sofrimento;

  4. A libertacao se revela na senda do caminho octuplo.


O mais hilario foi encontrar um monge que eh responsavel pelo pequeno templo em Mulbekh e estava ele trazdo com as tradicionais roupas vinho-amarelo, porem com oculos escuros e mascando chiclete, um tanto quanto agitado e uma blusa de frio escrito “England” num calor forte... Enfim... a dualidade sempre presente e ensinando... enquanto vivermos na terra a magica ilusao se apresenta na dual existencia, eh Aquilo para ter um polo seu oposto complementar estara lado a lado convivendo junto!


Em seu ingles mais ou menos foi super amavel e atencioso, me ofereceu cha e se eu nao conseguisse onibus ainda me ofereceu um quarto para passar a noite. Pois que nessas estradas as conducoes sao em horarios restritos pois eh perigoso viajar de noite pelas curvas sinuosas e penhascos bem altos.


O universo confluiu e segui para Lamayuru de carona num jeep.


Durante todo o percurso desde Sonamarg, creio que nunca rezei tanto na minha vida, muitas preces e vocalizacoes de mantras ate que centrei-me no maha mantra:

HARE KRISHNA HARE KRISHNA KRISHNA KRISHNA HARE HARE

HARE RAMA HARE RAMA RAMA RAMA HARE HARE


Pensava que se eu morresse pelos menos morreria cantabdo e pensando em coisas elevadas, no divino e conectada em algum aspecto de Deus. Assim, se for para morrer me preparo para tal... Eh Isso!


Mais uma vezs tudo que esta dentro esta for a. As montanhas me mostraram meus medos vindo a tona, as emocoes e sentimentos a serem trabalhadas, os pensamentos a serem limpos... Em meio ao meu encantamento com tanta beleza o onibus passava por uns penhascos sinistros que tambem revelavam paisagens maravilhosas...


A morte lado a lado com a vida que nasce e renasce. E as paisagens tao diversas revelando nossas inumeras faces entre incriveis oasis de arvores, casas de barro e pedra, exercitos, pessoas e culturas...


E ao mesmo tempo me sentia mais perto do ceu de esplendoroso azul. La eh a nota que da o tom azul, a serenidade representa com toda a diversidade se fundindo na unidade total de todas as cores que compoem o arco-iris. Eh uma louca percepcao da nao separatividade.


Outro desafio eh manter-se centrada perante todos os momentos, o equilibrio e a equanimidade perante o dual.


Quanto mais perto da morte mais certo eh a vida e vice-versa. Tao certo eh a meditacao como elo que nos auxilia a permanecer nesse equilibrio equanime na paz e no amor do Ser.


Deslumbrantes paisagens dessa infindavel criacao, de tao esplendorosa beleza e infinita concepcao que as palavras se tornam muitos pequenas ao tentar traduzir, as palavras sao limitadas e so o silencio contemplativo pode revelar o que eh!


Queremos tanto rotular ou definir as coisas quando esta tudo tao alem de qualquer conceito e tambem engloba todo e qualquer conceito, isto eh YOGA ou UNIAO! Por isso apenas eh! Isso eh! Ele-Ela, o Grande Ser, a fonte e a origem, a essencia e o Eterno... muitos alem do que douradas ou floridas palavras intentem traduzir.


So me cabe parar e sentar por tantos instantes, no momento de respirar e sem palavras, pairar no silencio e contemplar toda a grandeza que cabe na pequenez de uma grao de areia que sou e que vive dentro da magnitude de tudo que existe.


Habito o vazio de mim mesma no todo ilimitado que dentro do nada a tudo preenche!


Entre a forma e o vazio, a nao-mente direciona a energia para o coracao...


Pulsando beijos carinhosos e abracos ternos de bem-querer...

2 comentários:

Flor Baez disse...

Você poderia me informar onde ficou hospedada em Ladakh?

Com amor,

ÁTMA - Sou alma, existência no arco-íris de um violeta-multicolorido disse...

Oi, fiquei na casa de pessoas locais e em Leh na pousada Shanti :) beijommm